Treinador de goleiros do Santa Cruz revela trabalho;

ADAURY VELOSO =

Segundo Renato Pontes, os treinos durante a quarentena são também para reduzir os prejuízos de ‘velocidade de reação’ e ‘situação de jogo’ na volta ; Os quatro goleiros do Santa Cruz estão sendo monitorados pelo preparador da função durante esse período sem atividades oficiais, devido à pandemia do novo coronavírus, o covid-19. De acordo com Renato Pontes, que prevê alguns prejuízos no grupo ao retomarem a rotina, o trabalho de monitoramento à distância com o quarteto ajudará a reduzir impactos indesejados no desenvolvimento dos atletas.

Além de elogiar a postura dos corais por estarem se comprometendo a dar continuidade ao trabalho de preparação, ele pontuou danos possíveis, por não poderem manter o esquema de ‘jogabilidade’. “Sabemos que vamos ter uma perda sobre a situação do jogo em si, a parte de velocidade de reação, situação e leitura de jogo, que só na jogabilidade se adquire. Mas, temos atletas que estão organizados em sempre fazer o melhor. Bons atletas, que tem uma cabeça boa e aberta, e estão trabalhando”, disse Renato.

Junto aos outros companheiros da equipe, os goleiros também receberam uma cartilha de treinos e orientações. No caso dos arqueiros, que são supervisionados por Renato, a tentativa é de que as mudanças no estilo de movimentação aconteçam diariamente. “Estamos distribuindo a cartilha de treinamento para os atletas, e especificamente com os goleiros eu fiz um trabalho monitorando à distância, para não ter uma perda física, porque a gente vinha de muitos jogos em sequência e teve essa parada. A gente vai sempre mudando a cartilha. Tento mudar diariamente para poder propagar a situação em que cada um está”, explicou.

MONITORAMENTO

Afastados, a forma que Renato e os atletas escolheram para compartilhar os treinos foi através de vídeos. Assim, cada um tenta reorganizar seu tempo e espaço, pensando no futuro em equipe.
“A todo momento estou monitorando Luiz Fernando, Maycon Cleiton, Rokenedy e o Carlos Miguel. E eles me dão um feedback muito bom, mandando filmagens. O Maycon continua no apartamento, tem uma academia lá, e isso já ajuda. Como o restante, vai se adaptando”, comentou.
Caracterizando a pandemia enquanto uma ‘fatalidade’, o treinador reforçou a prioridade da saúde na vida dos atletas que fazem o Santa Cruz e de seus familiares. Renato é mais um na torcida para que tudo isso passe logo. “Infelizmente aconteceu essa fatalidade para todo mundo, em primeiro lugar a saúde, tanto dos atletas, como da comissão e de todos os familiares. Vamos torcer para passar logo”, encerrou o treinador.
vimentação aconteçam diariamente. “Estamos distribuindo a cartilha de treinamento para os atletas, e especificamente com os goleiros eu fiz um trabalho monitorando à distância, para não ter uma perda física, porque a gente vinha de muitos jogos em sequência e teve essa parada. A gente vai sempre mudando a cartilha. Tento mudar diariamente para poder propagar a situação em que cada um está”, explicou.

MONITORAMENTO

Afastados, a forma que Renato e os atletas escolheram para compartilhar os treinos foi através de vídeos. Assim, cada um tenta reorganizar seu tempo e espaço, pensando no futuro em equipe.
“A todo momento estou monitorando Luiz Fernando, Maycon Cleiton, Rokenedy e o Carlos Miguel. E eles me dão um feedback muito bom, mandando filmagens. O Maycon continua no apartamento, tem uma academia lá, e isso já ajuda. Como o restante, vai se adaptando”, comentou.
Caracterizando a pandemia enquanto uma ‘fatalidade’, o treinador reforçou a prioridade da saúde na vida dos atletas que fazem o Santa Cruz e de seus familiares. Renato é mais um na torcida para que tudo isso passe logo. “Infelizmente aconteceu essa fatalidade para todo mundo, em primeiro lugar a saúde, tanto dos atletas, como da comissão e de todos os familiares. Vamos torcer para passar logo”, encerrou o treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *