Sport vê média de gols cair pela metade;

ADAURY VELOSO ;

SPORT

Em jejum de vitórias, Sport vê média de gols cair pela metade após retomada da Série A

No pós-Copa, time sofre para balanças redes e tem apenas um empate;

A efetividade ofensiva do Sport sumiu depois que a Série A foi retomada com o fim da Copa do Mundo. Antes uma equipe que se desenhava como letal nas chances criadas, o grupo de Claudinei Oliveira viu a média de gols cair pela metade junto com o acúmulo de resultados ruins e consequente perda de confiança. Nesse cenário, o treinador insiste em mexer nas peças da linha de frente e, novamente, fará isso para o duelo contra o líder São Paulo, às 16h deste domingo, na Ilha do Retiro.

Antes dos nomes, os números. Até a disputa do Mundial da Rússia, o Sport realizou 12 jogos e marcou 15 vezes. Viveu seu ápice. Com uma média 1,25 gol por confronto, somou 19 pontos e mergulhou na pausa do Brasileiro na sétima posição com uma postura tática em que se fechava muito bem para sair nos contra-ataques.

Em seguida, porém, veio a queda livre que se reflete também no setor ofensivo. Ao ficar mais tempo com a bola e tentar propor mais o jogo na maioria dos duelos pós-Copa, a equipe balançou as redes apenas três vezes em cinco confrontos. A média baixou para 0,6 gol por rodada. O resultado é que o time conseguiu apenas um empate nesses duelos e, na 12ª posição, está a apenas três da zona de rebaixamento.
Com a queda de aproveitamento, o técnico Claudinei Oliveira foi mudando jogo a jogo o sistema ofensivo. De uma rodada para outra, alterou o posicionamento tático ou, principalmente, as peças. Para o duelo contra o São Paulo, deu sinais de que fará o mesmo.

Enquanto não conta com o reforço Morato além de aguardar o desfecho da negociação com Hernane Brocador e o anúncio da contratação de Matheus Gonçalves, sacou Andrigo e recolou Rafael Marques atuando pelo lado esquerdo do ataque no treino dessa quinta-feira. Já na segunda parte da movimentação, promoveu Rogério para o time titular e tirou Marlone. Nesse cenário de testes, espera, enfim, acabar com o jejum de vitórias do Leão na Série A que já dura sete rodadas.

“A gente tem que ter tranquilidade para fazer os gols e ser efetivo. Tem que ter calma para construir o jogo e também para não deixar espaço”, disse o lateral direito Cláudio Winck, uma das surpresas ofensivas do Leão com um gol e uma assistência nas últimas duas rodadas em um cenário que contrasta com o desempenho do time.

Sport antes da Copa do Mundo

  • 15 gols em 12 jogos
  • Média de 1,25 gol/partida

Sport depois da Copa do Mundo

  • 3 gols em 5 jogos  Média 0,6 gol/partida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *