Presidente da FPF nega mudança no Brasileiro;

ADAURY VELOSO =

Evandro Carvalho desmentiu presidente da Federação Paraibana, Michelle Ramalho, que havia dito que o Nacional teria fórmula alterada; Com a pandemia do coronavírus e uma série de medidas restritivas para tentar conter o avanço da doença, o futuro do calendário do futebol brasileiro para 2020 é incerto. Na última quinta-feira, a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, revelou ter escutado do presidente da CBF, Rogério Caboclo, que o Campeonato Brasileiro teria uma nova fórmula, devido ao estrangulamento das datas. Porém, essa informação foi desmentida nesta sexta pelo mandatário da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho.

 o dirigente afirmou que Michelle Carvalho “se expressou errado”. Ambos estiveram no início da semana na CBF participando de várias reuniões para tratar da situação do futebol nacional durante a pandemia do Covid-19. Após esses encontros, foram paralisados as competições nacionais, regionais e estaduais.
Segundo Evandro, o presidente da CBF apenas revelou que a tendência, pelo falta de datas, a tendência é que o Campeonato Brasileiro seja disputado com intervalo menores entre os jogos, podendo haver até três partidas por semana.
“Ela (Michelle Carvalho) se expressou errado. O que Rogério (Caboclo) quis dizer é que o Campeonato Brasileiro tinha uma previsão com folga de datas, tanto que muitas vezes o clube joga uma vez por semana pela competição. E os clubes brasileiros quando requerem à CBF jogar todas as competições eles assinam e se comprometem a jogar com espaço inferior a 72 horas, se houver necessidade. Portanto, o que a CBF disse é que como os estaduais têm que acabar, o Campeonato Brasileiro ao invés de acabar no início de dezembro, deve gastar o mês de dezembro todo, com a antecipação de férias para agora. E os clubes podem intercalar jogo terça, quarta, quinta, domingo…”, disse Evandro.
Ainda segundo o presidente da Federação Pernambucana, a CBF também quer que os estaduais sejam concluídos. E para isso, caso necessário, as partidas das competições locais podem ser intercaladas com o início do Nacional.
“O calendário vai ficar mais apertado, óbvio. A gente vai ter que usar todas as datas. Vai ter semana com em que um time vai jogar três jogos, mas vão ter que jogar. E os clubes sabem disso. Como a tendência é esticar o Brasileiro até o final de dezembro ele também vai começar depois e se tenta acabar os estaduais antes. Isso é o mais provável, mas se houver necessidade, a gente faz algumas rodadas intercaladas com o Brasileiro. Mas não é o ideal”, reconheceu.
Vale lembrar que também em entrevista ao Diario de Pernambuco, o presidente da Liga do Nordeste, Eduardo Rocha, também abriu a possibilidade da Copa do Nordeste também ser disputada simultaneamente ao Campeonato Brasileiro. O que, inevitavelmente, irá gerar choque de datas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *