Mais uma porta fechada para Juninho: Corinthians;

ADAURY VELOSO ;

SPORT

Outra porta fechada para Juninho: Corinthians desiste do atleta por fator extracampo

Clube paulista divulgou uma nota confirmando a desistência da negociação após uma grande rejeição da torcida à contratação do jogador.

Na tarde desta quinta-feira, mais uma porta foi fechada para o atacante Juninho. Desta vez, o Corinthians foi mais um clube a rejeitar assinar contrato com o atleta, que atualmente pertence ao Sport, por questões extracampo. O clube paulista divulgou uma nota (confira abaixo na íntegra) confirmando a desistência da negociação após uma grande rejeição da torcida, principalmente da porção feminista, à contratação do jogador.

Em 2017, Juninho se envolveu numa polêmica ao ser detido pela polícia após agredir sua ex-namorada. Desde o ocorrido, o atacante de 19 anos, formado nas categorias de base do Leão, tem encontrado diversos problemas para construir sua carreira no futebol. Além do Corinthians, times como o Vasco, o Cruzeiro e o Fortaleza se interessaram no garoto, mas, quase que instantâneamente, desistiram do atleta devido à sua fama de indisciplinado e histórico de violência contra a mulher.
No início deste ano, o único clube que concretizou uma negociação com Juninho foi o Ceará. Porém, com menos de seis meses de contrato de empréstimo, o Vovô anunciou a dispensa do jogador por “falta de espaço no time”. Atleta deve retornar ao Sport, que ainda não definiu o destino dele.

A reportagem do Superesportes entrou em contato com o jogador, que não quis entrar em detalhes sobre o acontecimento. “Não quero falar nada sobre isso. Tudo vai se resolver amanhã. Deixa todo mundo pensando o que quiser aí”, disse ele.

Nota, na íntegra, do Corinthians sobre Juninho:

“Ao entabular negociações com o atleta Juninho, o Corinthians visava não só atrair um promissor talento futebolístico, mas também encetar um processo de ressocialização dele. Sabedor de antecedentes desabonadores no seu passado, acreditamos que um jovem devidamente orientado teria condições de mudar de banda e, em vez de frequentar o grupo dos que tratam como corriqueira a agressão à mulher, pudesse se tornar um exemplo de evolução moral.
 
Ou seja, o episódio deveria representar um passo avante naquela que é bandeira sagrada do Timão: lutar contra qualquer forma de discriminação, abominar a violência, aliar-se aos mais fracos. Entretanto, considerando as inúmeras manifestações de torcedoras e torcedores contrários à eventual contratação de Juninho, informamos que ele não fará parte de nosso quadro de funcionários. O momento exige que o congraçamento de mentes em torno da causa feminista se sobreponha a quaisquer outras considerações.
 
Ademais, estaremos aumentando a importância do enfrentamento pelo Corinthians de um tema sensível como esse em um ambiente sabidamente machista como o futebol. Atuaremos no sentido de difundir por todas as instâncias do Clube essa doutrina para evitar ocorrências como essa e formaremos parcerias com instituições que também cuidem da ressocialização dos agressores homens para que a violência contra a mulher acabe no Brasil.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *